Bolseiros investigadores do projeto INTERACT (“Integrative Research in Environment, Agro-Chians and Technology”) vão marcar presença no X Congresso Ibérico de Gestão e Planeamento da Água, em Coimbra. O evento arranca amanhã (dia 06 de setembro), no Departamento de Engenharia Civil da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.

Afetos à Linha de Investigação BEST (Bio-Economy and Sustainability), os bolseiros António Fernandes, Daniela Terêncio, Lisa Martins e Regina Santos farão quatro apresentações que são o resultado da pesquisa efetuada ao longo do projeto.

As quatro apresentações centram-se no uso da água em diversas situações ou em fatores de poluição em bacias hidrográficas ou águas subterrâneas.

O “estudo estatístico” de António Fernandes, com o título Modelos de Equações estruturais como ferramenta de compreensão da perda de integridade ecológica em águas superficiais, usa, no entender do investigador, “um modelo simples e apelativo” para estabelecer uma relação de “variáveis” que podem ter “um maior impacto na perda de qualidade da água superficial” na bacia do rio Ave. O modelo utiliza uma “metodologia aplicável a qualquer outra bacia hidrográfica”, sendo possível “expor quais são as fontes de poluição que carecem de uma intervenção”, diz o investigador.

Daniela Terêncio fará a apresentação Sustentabilidade e armazenamento em sistemas de aproveitamento de águas pluviais à escala da bacia hidrográfica para utilizações agroflorestais, baseada no artigo publicado na revista “Science of The Total Environment” no passado mês de fevereiro. Segundo a investigadora, será apresentado “um modelo que visa utilizar a água da chuva em linhas de água, permitindo assim o seu aproveitamento para fins agroflorestais”, e que pode ajudar na criação de “reservas de água para rega de culturas agrícolas ou para ajuda no combate aos fogos florestais”.

Por seu turno, Lisa Martins fará a apresentação Utilização de modelos de fluxo e transporte na validação dos riscos de contaminação aquífera: uma abordagem em zonas montanhosas. Segundo a investigadora, este estudo “representa uma nova abordagem de validação” que estabelece uma relação “ente o risco de contaminação das águas e a concentração de nitratos, ajustadas às áreas montanhosas”. Lisa Martins considera o estudo “valioso para as decisões políticas relativamente ao planeamento dos recursos hídricos”, visto que o “exercício de modelação prevê quais as áreas da bacia montanhosa” precisam de “uma proteção efetiva da qualidade da água subterrânea”.

Já Regina Santos focar-se-á na utilização da água para uso doméstico e agrícola da bacia do rio Sabor na apresentação Aplicação do SWAT e do Mike hydro basin na Análise da hidrologia e da alocação de água na bacia do Rio Sabor. Uma das conclusões centra-se no facto de “o maior consumo de água para irrigação ocorre nos concelhos de Bragança, Macedo de Cavaleiros, Alfândega da Fé, Vila Flor e Torre de Moncorvo, onde predominam o olival, os pomares e as hortícolas”, diz a investigadora.

As apresentações decorrerão ao longo da próxima sexta-feira (dia 07 de setembro).